ACEITAÇÃO‏

14-02-2011 23:56


    Em uma pequena reunião outro dia algo me chamou bastante a atenção. Presentes entre os convidados estava um casal de pessoas já bem idosas.
 

    Como todo casal já em uma idade bastante avançada começa a ser comum certa impaciência um com o outro, seja por já não conseguirem se ouvir direito, seja por insistirem para que o outro se lembre de algo por que passaram quando este já não consegue se lembrar. Acabam assim com pequenos atritos inconsequentes, mas chatos na convivência dos casais já com aquela idade.

 

    Já havia notado isso em diversos casais idosos mas uma coisa me chamou muito a atenção naquele. Durante nosso encontro, um dos dois passou por um lapso de memória, muito comum em pessoas nessa fase de idade, e não sabia que remédio deveria tomar naquele horário, confundindo os da manhã com os da noite e, por esse motivo, tendo ficada bastante ansiosa, sem saber o que fazer e tendo que recorrer às suas anotações para acabar com as dúvidas.

 

    Pude notar no olhar, e na expressão do outro seu parceiro, com quanta tristeza estava em seu coração de ver aquilo ocorrer com sua amada, sua parceira, a companheira de toda a vida. Sua angústia de ver aquele quadro era tão visível que me doeu na alma.

 

    Penso que, quando isso ocorre com alguém, que se sente incapacitado de fazer algo para ajudar, deve doer muito, pois provavelmente entende, com fatos assim, que seu companheiro ou companheira já está próximo do fim e que, certamente, ele também.

 

    Pior, quando os filhos começam palpitar, dizendo que um é chato, intransigente, implicante com o outro, ou algo assim. Não é nada disso. Pelo exemplo citado, nota-se claramente, que o amor e o carinho entre ambos ainda é muito forte, latente, e o que ocorre é que, por também já estar bastante idoso, um não consegue entender como o outro não se lembra daquilo que ele sim, e vice versa, ou como o outro não escutou sua pergunta.

 

    Os filhos deveriam aceitar e relevar as chatices e intransigências dos mais velhos, levando suas implicações como o desejo destes de, com sua experiência de vida, querer nos ensinar ou sugerir algo, e acatar esse ensinamento como se crianças fossem, sem discussão, pois os mais velhos possuem muita dificuldade em entender que aqueles seus pequeninos cresceram e hoje já possuem sua própria opinião e, assim como também eles fizeram no passado, acham que não precisam mais de conselhos e sugestões.

 

    É muito comum que o mais velho fique tenso, nervoso, por não entender o motivo pelo qual aquele seu ente querido, bem mais novo e por isso menos experiente, pense que algo do que diz não está correto, se tudo o que diz, que tenta passar de sua experiência, é com muito amor e carinho, para que os mais jovens não precisem passar pelo mesmo erro que ele ou algum ancestral já passou, muitas vezes com sacrifício, e com ele aprendeu.

 

    Precisamos amadurecer o suficiente para entender melhor os idosos que nos rodeiam, e com eles aprender, pois certamente, no futuro seremos nós com os mesmos problemas, com as mesmas picuinhas, e com as mesmas tristezas, que não poderemos socorrer nosso companheiro em suas dificuldades, sejam físicas ou mentais.

 

    Aceitar os mais velhos com suas rabugices, picuinhas e intransigências é, além de um amadurecimento, uma obrigação, pois foram estes, hoje velhos, que aceitaram nossos choros, manhas e incapacidades infantis.

 

    Texto de João Bosco Leal

 

    Comentário,

A maioria das histórias dos idosos são tristes, por falta de compreensão dos filhos e da própria sociedade.

As leis que rege os direitos dos idosos, na maioria das vezes não são cumpridas, por que isso acontece?

 Se ainda existem idosos sendo espancados pelos filhos, sendo descaradamente extorquidos, submetidos  a uma covarde chantagem emocional por filhos inescrupulosos que se utilizam o amor e do afeto daquela pessoa que muitas vezes no passado e no presente são capazes de dar a própria vida por eles.

             E a sociedade? O que pensa de seus idosos?

            Será que ela realmente seria capaz de fazer alguma coisa em benefício dela mesma, porque todos nós como recompensa ou castigo seremos idosos um dia.

           

 

            Celso Melchiades.

 

Contatos

Focolondrina

focolondrina@hotmail.com

Av: Do Sol nº.541 Jd do Sol - Londrina-PR

(43) 9 9903.6667

Procurar no site

Notícias

03-05-2016 17:02

PREVENÇÃO UMA PRIORIDADE PARA SEGURANÇA DA POPULAÇÃO

14/01/2016       No dia 27 de janeiro próximo, fará 3 anos que 242 jovens morreram no incêndio da Boate Kiss, na verdade eles foram vítimas da falta de informação de como se proteger em um incêndio, acredito que se eles tivessem tido o mínimo de informação teriam se...

noticia

Esta seção está vazia.

 


 

 

 

 

 

 

 Aliança em benefício da vida

Foto: Focolondrina

    Quando se fala em segurança para sua família, não pode ter divergência política ou partidária, porque a família é muito mais importante que tudo.

    Não devemos nunca deixar que oportunista se aproxime ou manipule um líder comunitário para promover a discórdia em beneficio de si mesmo.

    A FECAMPAR (Federação das Entidades Comunitárias e Associações de Moradores do Paraná), conseguiu pela primeira vez no Paraná, organizar aquilo que parecia impossível, juntar políticos sindicalistas e empresários, todos com o mesmo objetivo, levar ate o Governo uma renvidicação que há décadas passavam despercebidas, a prevenção de incêndio e o controle de pânico nas Escolas do Paraná, com essa integração conseguimos sensibilizar o nosso Governo e o nosso objetivo  esta sendo alcançado.

    Agora esperamos que as administrações Municipais  tenham a mesma consciência e procure estar também  integrada com o Governo  Estadual e Federal  e não mais promover  a desgraça  de muitos em beneficio de poucos.

     Precisamos que o projeto brigada escolar seja estendido para todas as Escolas Municipais e que o pesadelo de Uruguaiana e Santa Maria sirva de lição para todos nós, tornando a integração o melhor caminho para termos uma sociedade justa e igualitária.

    Esta aliança não será usada para beneficiar estes ou aqueles grupos políticos, ela foi organizada para provar para o Paraná que o Governo e o Povo devem estar integrados com o mesmo objetivo. Salvar vidas.

    A FECAMPAR regional Londrina agradece publicamente a toda equipe da Organização Comunitária Focolondrina, aos Vereadores, Péricles Deliberador, Marcos Belinati, Roberto Fu, Wilson Bitencortt, ao Deputado Estadual Belinati, ao Presidente da Nova Central dos Trabalhadores do Paraná Denílson Pestana da Costa, ao Dr. Marcelo Belinati, ao Presidente da Câmara de Vereadores de Cambe Eliseu Vidotti, ao Deputado Federal Luiz Carlos Hauly, ao Presidente do PSDC de Londrina Bruno Ubiratã, ao Presidente do PSDC Estadual Luiz Adão, ao Empresário Luciano Pizzato, SINTRAMICA, SENALBA Londrina, SECRASO NP, Sindicato dos Vigilantes de Londrina e região, Cooper Fire Extintores, Ulisses Sabino, também ao   Presidente  do SINDISERV   Marcelo Urbaneja, Eder Pimenta, Presidente da FEMOCLAM  Nilson Pereira,  Geonisio Marinho, Valdenir Dielly Dias, aos   gabinetes  dos  Vereadores  Péricles, Wilson Bitencort,  Roberto Fu, Marcos Belinati,  Jurandir Rosa  Diretor do Jornal A SEGURANÇA METROPOLITANA  de Londrina, Carlos Zapata do Jornal voz de Ibaiti, ao  amigo Messias Lima, Lineu Tomass, Carioca, também aos   Assessores  do Deputado Belinati,  Baixinho, Aguilera, em Especial ao Ratinho Junior,  Ministério Público, ao   Governo do  Paraná Beto  Richa e tenho a certeza que  seus  apoios  foram de grande importância na formação e  organização no  projeto da aliança de integração Comunitária  do Paraná.

    A FECAMPAR Regional Londrina em nome do povo do Paraná, agradece a todos e que Deus Abençoe a cada um por estar ajudando de alguma forma buscar mais segurança para nossa família.

           Celso Melchiades

    Vice Presidente Fecampar

 

 

 

Será que um dia poderemos ter realmente algum direito?

 
19-02-2013 13:22

2011-04-16 10:33

 

 

     Sonho! Nos vivemos de sonho e esperança ,os movimentos populares lutam para que os sonhos se torne realidade e  os direitos de cada cidadãos sejam respeitados.

   Sempre foi este o verdadeiro papel das associações de moradores, mas a partir do momento que o líder da entidade se mostrava competente e determinado na defesa dos direitos de sua comunidade. 

    Imediatamente aguçava a cobiça de mercenários, que procura sempre calar a boca de líderes comunitários a qualquer preço e assim fazer com que as reivindicações daquela comunidade deixassem de existir.

    Londrina sempre será o berço dos movimentos populares do Paraná, muitos partidos cuja sua ideologia era defender e lutar pelos menos favorecidos.

     Essa história começou em Londrina, mas infelizmente foi se perdendo, por que os partidos políticos no papel era uma coisa, na prática era outra.

      Isso esta se repetindo nas associações de moradores, entidades que na prática é formada para representar e defender a sua comunidade.

       O que esta acontecendo em Londrina?

     As entidades foram formadas, mas só tem a representatividade no papel, esta com a boca calada e defendendo políticos que não tem compromisso com a comunidade, precisamos que estas entidades realmente exerçam a sua responsabilidade, lutar e defender os direitos dos cidadãos e cumprir o seu estatuto.

       A partir do momento que os presidentes respeitam o seu estatuto a sua comunidade passa a ter suas reivindicações respeitadas.

       Infelizmente o que esta acontecendo é que o presidente negocia através da sua credibilidade favores pessoais.

      Por estar sempre acontecendo isso tomamos a iniciativa de não mais articular com presidentes de associações de moradores em Londrina.

      Não que temos algo contra eles, na verdade respeitamos e muito, mas infelizmente não podemos confiar em todos os presidentes e trazer para dentro do movimento.

       Nossa organização respeita e sempre defenderá os Presidentes de associações de moradores sérios, vamos também dar prioridade em defender os direitos de nossos irmãos de luta, não somos mercenários, somos  Organizadores  Comunitários da Força Comunitária de Londrina.

Celso Melchiades

 

 

  

© 2010 Todos os direitos reservados.

Crie o seu site grátisWebnode