Fernanda Richa, uma senhora Primeira Dama

04-06-2011 06:24
 
.

    Fernanda Richa deixa, hoje dia 6 de julho, a presidência da Fundação de Ação Social (FAS) de Curitiba. Ela vai permanecer afastada da instituição até o término da campanha eleitoral, na qual o marido, Beto Richa, concorre ao governo do estado pelo PSDB. Quem assume a presidência da FAS interinamente é Leandro Nunes Meller, atual superintendente da instituição.


    Nos bastidores fiquei sabendo que o motivo real foram as constantes críticas do pessoal da oposição, de que, Fernanda estaria fazendo campanha em prol do maridão Beto Richa, durante a entrega de cobertores, para 1,5 mil famílias, no bairro Parolin, em Curitiba. Para evitar problemas para a campanha, ela pediu então o seu afastamento. Uma pena, pois a população carente e não carente, já estava acostumada com ela percorrendo os bairros de Curitiba, as favelas, creches, escolas levando uma palavra amiga, um sorriso, um donativo, uma ajuda. Vamos sentir falta das campanhas solidárias que organizava e participava. Mas, quem sabe, uma missão maior está reservada para ela. Cuidar dos paranaenses menos afortunados, tão carentes de tudo.

    Se, falar sobre os programas criados e realizados durante a gestão do então prefeito Beto Richa, e que possibilitam toda a grande obra assistencialista da Prefeitura Municipal de Curitiba, é crime, o que dizer da campanha descarada que o Presidente Lula faz em prol de sua candidata ao governo federal, que, diga-se de passagem, nunca realizou nada em prol dos mais necessitados.

    Liga não, Fernanda. Primeiras Damas como você, nós precisamos em nossa cidade, estado e país. Não precisamos de Primeira Dama de Companhia, que só sabe viajar ao lado do marido  presidente e aparecer em revistas e jornais, em páginas da sociedade. Isso sem falar das absurdas entregas de honrarias que recebeu: a Medalha do Mérito Santos-Dumont (criados para homenagear personalidades civis e militares, brasileiras ou estrangeiras, que tenham prestado destacados serviços a Aeronáutica brasileira) ou a medalha da Ordem do Rio Branco (que reconhece atitudes e feitos honrosos em prol da nação brasileira).  Que obras sociais realizou? Que feitos honrosos fez? A única missão que merece destaque é ser a Primeira Dama de Companhia de Viagens e de Festas.

    Que saudade da Primeira Dama, Dona Ruth Cardoso, que já faleceu. Ruth transformou a política social no Brasil nos oito anos em que esteve no poder ao lado do marido, o então presidente Fernando Henrique Cardoso, seu companheiro por 55 anos. Decretou o fim da Legião Brasileira de Assistência (LBA), baniu o clientelismo, criou o Comunidade Solidária, impôs suas convicções em defesa de um novo modelo de ação social, em parceria com a sociedade, e imprimiu estilo inovador e discreto ao cargo de primeira-dama. Ela presidia o conselho do Comunidade Solidária, cuja tarefa era coordenar ações de diferentes ministérios e articular parcerias com a iniciativa privada. Ela tinha identidade própria: a formação acadêmica e a militância social vinham antes da condição de primeira-dama. Colocou na agenda do governo o combate à pobreza e lançou as sementes dos programas sociais do governo Lula. Deu ênfase à educação e ao diálogo. Criou o Alfabetização Solidária, cujo objetivo era combater o analfabetismo de jovens e adultos. O projeto teve continuidade depois do governo FH: deu origem a uma organização não-governamental, a Alfasol, que já atendeu mais de cinco milhões de iletrados. O Universidade Solidária mobilizava instituições de ensino superior, enviando estudantes a regiões pobres para trabalhos sociais.

    Aqui, no Paraná, tivemos várias Primeiras Damas que se destacaram por serviços prestados em prol da população:

    Nice Braga, esposa do ex-prefeito e ex-governador Ney Braga, influenciou na criação do Decreto n° 2.194 de 15 de abril de 1980, que instituiu o PROVOPAR - Programa do Voluntariado Paranaense, vinculado à Secretaria da Saúde e Bem-Estar Social. Durante sua vida, sempre esteve presente em eventos e atividades voltadas a Ação Social.

    Arlete Richa passou a atuar na PROVOPAR, ao lado de seu marido, o governador José Richa e desvinculou a entidade do Estado, passando a atuar em parceria com a sociedade civil e órgãos governamentais, colocando em prática programas de natureza social através de ações de caráter emergencial, mediante políticas compensatórias e de caráter estrutural e apoio aos projetos de geração de renda.

    Fani Lerner, que em 1989, assumiu o comando da Secretaria Municipal da Criança de Curitiba, na gestão do marido e então prefeito Jaime Lerner, cargo que ocupou por seis anos. Fani exerceu também o mesmo cargo no Estado, por oito anos, nos governos Lerner, de 1995 a 2002.

    Durante suas gestões como secretária da Criança, ela criou 16 programas para crianças e adolescentes carentes. O PIÁ (Programa de Integração para Crianças e Jovens) era voltado para o treinamento vocacional a crianças de famílias de baixa renda, entre 7 e 17 anos de idade. Fani Lerner foi a vencedora do Prêmio Kellogg’s para o Desenvolvimento da Criança 2003, oferecido pela organização americana World of Children, em parceria com a instituição Hannah Neil.

    Fani Lerner comandou a implantação quase 700 creches: 170 delas em Curitiba, as demais no interior do Estado. Criou o Vale Creche, pelo qual as empresas compram vagas para os filhos de seus funcionários nas creches próximas de suas moradias. “Da Rua para a Escola” , “Programa para a Infância e Adolescência” o projeto Piá, que no Sul é sinônimo de garoto também fazem parte do glossário do trabalho de Fani Lerner.

    Milhares de crianças de Curitiba e de cada uma das 399 cidades do Paraná se beneficiaram destes programas, garantindo um futuro mais promissor. Fani Lerner foi a vencedora do Prêmio Kellogg’s para o Desenvolvimento da Criança 2003, oferecido pela organização americana World of Children, em parceria com a instituição Hannah Neil.

    Margarita Sansone, esposa do prefeito Rafael Greca, criou em 1993 e dirigiu, o Instituto Pró-Cidadania, uma entidade de direito privado, não governamental, que apóia as ações sociais da Prefeitura de Curitiba, através da maior participação de organizações e representantes da sociedade. O Instituto é um instrumento importante na ação pelo resgate da cidadania das comunidades excluídas e na promoção da solidariedade entre os curitibanos. Foram criados e mantidos pelo Instituto Pró-Cidadania os seguintes programas: Tudo Limpo, Lojas Leve Curitiba, Liceu e Linhas do Ofício, Oficinas de Trabalho, Vila dos Ofícios.

    Marina Klamas Taniguchi foi presidente da Fundação de Ação Social (FAS), quando seu marido Cássio Taniguchi foi prefeito da cidade. Em sua gestão, uma das finalidades da Fundação era atender pessoas em situação de risco social, procurando tratar cada problema de forma integrada. A FAS interagia com as Secretarias de Educação, Saúde, Abastecimento, Meio Ambiente e Transporte, inserindo o cidadão carente em programas desenvolvidos por cada secretaria de acordo com suas necessidades. Um dos programas criados por ela foi o “Esmola não dá futuro”, onde a Prefeitura investe em informação, mostrando que o dinheiro incentiva a criança a permanecer longe da escola, do convívio social e de um futuro melhor. Outro grande projeto criado é o programa de troca de lixo reciclável por cestas básicas.

 

Contatos

Focolondrina

focolondrina@hotmail.com

Av: Do Sol nº.541 Jd do Sol - Londrina-PR

(43) 9 9903.6667

Procurar no site

Notícias

03-05-2016 17:02

PREVENÇÃO UMA PRIORIDADE PARA SEGURANÇA DA POPULAÇÃO

14/01/2016       No dia 27 de janeiro próximo, fará 3 anos que 242 jovens morreram no incêndio da Boate Kiss, na verdade eles foram vítimas da falta de informação de como se proteger em um incêndio, acredito que se eles tivessem tido o mínimo de informação teriam se...

noticia

Esta seção está vazia.

 


 

 

 

 

 

 

 Aliança em benefício da vida

Foto: Focolondrina

    Quando se fala em segurança para sua família, não pode ter divergência política ou partidária, porque a família é muito mais importante que tudo.

    Não devemos nunca deixar que oportunista se aproxime ou manipule um líder comunitário para promover a discórdia em beneficio de si mesmo.

    A FECAMPAR (Federação das Entidades Comunitárias e Associações de Moradores do Paraná), conseguiu pela primeira vez no Paraná, organizar aquilo que parecia impossível, juntar políticos sindicalistas e empresários, todos com o mesmo objetivo, levar ate o Governo uma renvidicação que há décadas passavam despercebidas, a prevenção de incêndio e o controle de pânico nas Escolas do Paraná, com essa integração conseguimos sensibilizar o nosso Governo e o nosso objetivo  esta sendo alcançado.

    Agora esperamos que as administrações Municipais  tenham a mesma consciência e procure estar também  integrada com o Governo  Estadual e Federal  e não mais promover  a desgraça  de muitos em beneficio de poucos.

     Precisamos que o projeto brigada escolar seja estendido para todas as Escolas Municipais e que o pesadelo de Uruguaiana e Santa Maria sirva de lição para todos nós, tornando a integração o melhor caminho para termos uma sociedade justa e igualitária.

    Esta aliança não será usada para beneficiar estes ou aqueles grupos políticos, ela foi organizada para provar para o Paraná que o Governo e o Povo devem estar integrados com o mesmo objetivo. Salvar vidas.

    A FECAMPAR regional Londrina agradece publicamente a toda equipe da Organização Comunitária Focolondrina, aos Vereadores, Péricles Deliberador, Marcos Belinati, Roberto Fu, Wilson Bitencortt, ao Deputado Estadual Belinati, ao Presidente da Nova Central dos Trabalhadores do Paraná Denílson Pestana da Costa, ao Dr. Marcelo Belinati, ao Presidente da Câmara de Vereadores de Cambe Eliseu Vidotti, ao Deputado Federal Luiz Carlos Hauly, ao Presidente do PSDC de Londrina Bruno Ubiratã, ao Presidente do PSDC Estadual Luiz Adão, ao Empresário Luciano Pizzato, SINTRAMICA, SENALBA Londrina, SECRASO NP, Sindicato dos Vigilantes de Londrina e região, Cooper Fire Extintores, Ulisses Sabino, também ao   Presidente  do SINDISERV   Marcelo Urbaneja, Eder Pimenta, Presidente da FEMOCLAM  Nilson Pereira,  Geonisio Marinho, Valdenir Dielly Dias, aos   gabinetes  dos  Vereadores  Péricles, Wilson Bitencort,  Roberto Fu, Marcos Belinati,  Jurandir Rosa  Diretor do Jornal A SEGURANÇA METROPOLITANA  de Londrina, Carlos Zapata do Jornal voz de Ibaiti, ao  amigo Messias Lima, Lineu Tomass, Carioca, também aos   Assessores  do Deputado Belinati,  Baixinho, Aguilera, em Especial ao Ratinho Junior,  Ministério Público, ao   Governo do  Paraná Beto  Richa e tenho a certeza que  seus  apoios  foram de grande importância na formação e  organização no  projeto da aliança de integração Comunitária  do Paraná.

    A FECAMPAR Regional Londrina em nome do povo do Paraná, agradece a todos e que Deus Abençoe a cada um por estar ajudando de alguma forma buscar mais segurança para nossa família.

           Celso Melchiades

    Vice Presidente Fecampar

 

 

 

Será que um dia poderemos ter realmente algum direito?

 
19-02-2013 13:22

2011-04-16 10:33

 

 

     Sonho! Nos vivemos de sonho e esperança ,os movimentos populares lutam para que os sonhos se torne realidade e  os direitos de cada cidadãos sejam respeitados.

   Sempre foi este o verdadeiro papel das associações de moradores, mas a partir do momento que o líder da entidade se mostrava competente e determinado na defesa dos direitos de sua comunidade. 

    Imediatamente aguçava a cobiça de mercenários, que procura sempre calar a boca de líderes comunitários a qualquer preço e assim fazer com que as reivindicações daquela comunidade deixassem de existir.

    Londrina sempre será o berço dos movimentos populares do Paraná, muitos partidos cuja sua ideologia era defender e lutar pelos menos favorecidos.

     Essa história começou em Londrina, mas infelizmente foi se perdendo, por que os partidos políticos no papel era uma coisa, na prática era outra.

      Isso esta se repetindo nas associações de moradores, entidades que na prática é formada para representar e defender a sua comunidade.

       O que esta acontecendo em Londrina?

     As entidades foram formadas, mas só tem a representatividade no papel, esta com a boca calada e defendendo políticos que não tem compromisso com a comunidade, precisamos que estas entidades realmente exerçam a sua responsabilidade, lutar e defender os direitos dos cidadãos e cumprir o seu estatuto.

       A partir do momento que os presidentes respeitam o seu estatuto a sua comunidade passa a ter suas reivindicações respeitadas.

       Infelizmente o que esta acontecendo é que o presidente negocia através da sua credibilidade favores pessoais.

      Por estar sempre acontecendo isso tomamos a iniciativa de não mais articular com presidentes de associações de moradores em Londrina.

      Não que temos algo contra eles, na verdade respeitamos e muito, mas infelizmente não podemos confiar em todos os presidentes e trazer para dentro do movimento.

       Nossa organização respeita e sempre defenderá os Presidentes de associações de moradores sérios, vamos também dar prioridade em defender os direitos de nossos irmãos de luta, não somos mercenários, somos  Organizadores  Comunitários da Força Comunitária de Londrina.

Celso Melchiades

 

 

  

© 2010 Todos os direitos reservados.

Crie o seu site grátisWebnode